como anda a sua saúde mental?

this is real, this is me
09/05
but this is also real and me
10/05



























Este texto foi escrito em maio,
hoje já tenho mais dias bons do que ruins,
porque entender de onde vem
nossas dores é fundamental
para curá-las.


Há algum tempo eu não tenho dito nada sobre a minha. Depois de um longo ano deprimida e com crises, eu só queria viver a liberdade que um domingo de manhã me deu e fez durar. Voltei a escrever, meu diário está lindo, tenho o cd novo da Taylor Swift - Lover, que não sai da minha escrivaninha -, tenho ouvido música quase todos os dias - algo que, estando deprimido, é muito difícil de se fazer. Comecei a programar qual será minha fantasia para o show da Taylor - que é ano que vem, porque seria em julho, mas foi adiado pela pandemia - e já estou salvando links, vendo preços…

Porém, essa quarentena está me levando a lugares que eu não gostaria mais de entrar. Tem dias que a tristeza me atravessa e tudo o que eu quero fazer é me enrolar em bolinha de coberta e só ver o dia passar, presa no relógio. Em outros, eu ligo para minha mãe, porque só ela entende como nosso passado volta em minha memória e só ela sabe me acalmar.

Não estou deprimida, não me sinto deprimida, mas em alguns momentos me sinto triste, sozinha e vazia. Mas, como eu disse lá em cima, há dias bons, dias que eu sorrio na terapia e reclamo das minhas vizinhas sem nenhum senso (né Regina?), do Presidente panaca deste país. Acontece que tem dias em que choro falando dos meus problemas reais e dos problemas que a minha cabeça cria vivendo entre passado e misturando com o futuro. É horrível.

Mas há dias em que rio com meu marido, brinco com meus gatos e gasto horas conversando com meus amigos. Ver séries e filmes inocentes e leves deixa meu coração flutuando e feliz. E quando alguém elogia meu trabalho? Nossa, eu vou direto para uma floresta encantada e sonhadora, pensando que posso melhorar e me empenhar ainda mais.

Só às cinco e pouca da tarde já está escurecendo e isso é uma bagunça nos meus divertidamente. Eu só quero um pouco mais de sol, talvez até às seis e as coisas ficariam melhores, sabe? Queria poder tomar um pouco de sol, mas nem coragem de sair de casa eu tenho, o medo me domina e me paralisa.

A verdade é que eu tenho oscilado bastante entre estar bem e ficar  triste porque a minha mente não está exatamente no lugar perfeito, onde eu gostaria que ela estivesse. Mas é um dia de cada vez mesmo e está tudo bem, sabe? Já aconteceu antes e eu já consegui. Enquanto esse confinamento não passa, a melhor coisa que eu faço é me divertir comigo, com meus sonhos, minhas escritas e séries. Quanto a situação do país, isso só traz desespero e o ciclo de ansiedade se cria.

You May Also Like

0 Comments