Mais uma psicóloga que se vai e a mesma eu machucada por isso




Precisava escrever.
Há dias tenho vontade/necessidade de escrever.
Escrever é uma forma de colocar os pensamentos em ordem, uma tentativa de entender o que vem acontecendo.

Na segunda-feira passada, perdi minha psicóloga.
Perdi para o tratamento de uma doença cruel e incurável, a fibromialgia.
E eu pensei "okay, tudo bem, mais uma que se vai, pelo menos não é por dinheiro, então tudo bem. ela teve o cuidado de me ligar e contar, então tudo bem, porque eu já derramei umas lágrimas na ligação, então tá tudo bem!"

Não poderia estar mais enganada.
Não fui começar outra rodada de fisioterapia naquele dia, fui direto para casa.
Na terça-feira foi quase impossível levantar e fiquei pensando em mil desculpas para dar ao meu psiquiatra, para não sair de casa e ir na consulta daquele dia. Mas eu não podia fazer isso comigo mesma. Talvez o fato de conversarmos, me ajudaria, porque ele é psicanalista também e me entende bem. Então eu fui exatamente como estava, short, camiseta, sem sutiã e chinelo.

Não adiantou muito, sabe?
Nos dias que se seguiram, eu não consegui sair muito. Era quarto e sofá. Livro e série. Me lembro de ter ido à padaria, porque não tinha forças para fazer meu próprio café da manhã, e são só alguns - seguros - passos de casa.
Me sentia a pessoa mais drenada do mundo.

- Será que você não está assim por causa da sua psicóloga?
- Não, nem tenho pensado nisso. Só quero um tempo pra mim, sabe? Ficar em casa, maratonar, me curtir um pouco.
- Okay....

Tranquei redes sociais, porque eu precisava pensar, descobrir o que estava acontecendo.
Nem do blog ou do instagram (que são as coisas que eu mais amo fazer e manter) eu conseguia forças para cuidar, também mal comi na última semana.
Então, ontem, eu percebi.

Percebi que estava sofrendo com o luto.
Como eu já disse em algum lugar, perder uma psicóloga, principalmente quando você confia  100% nela, é pior do que fazer desmame de remédio. É como se você dormisse com um remédio todas as noites e, de repente, ele acaba e não há mais nas farmácias.
É agonizante, é tão horrível quanto ficar acordado, sem querer, por mais de 24h.

Além de querer autoconhecimento, a terapia me é recomendada para tratamento da depressão maior, advinda de vários fatores da minha vida e, um deles, é o sentimento de abandono. Sentimento que só cresce aqui dentro, estando longe de ser ressignificado ou curado, todas as vezes que um profissional se vai pela porta da minha vida. Não projeto culpa na minha ex psicóloga, mas eu tenho o sentimento de abandono, apesar de ela ter me dito que não estava me abandonando.

É frustrante!
Ando tão cansada dessa caçada atrás de alguém que fique... Cansada de reviver as memórias que eu queria engavetar e esquecer e não falar de tudo isso de novo...
Mas eles dizem que eu preciso recomeçar, e não importa quantas vezes isso aconteça, eles dizem que eu preciso até ficar bem.

Passei a semana inteira processando tudo isso, sem nem pensar conscientemente.
Passei a semana inteira de luto por mim mesma, sem saber o que me deixava tão apática.
Passei a semana inteira sem reagir a minha própria vida, sem vivê-la, e não estando ciente disso.

Eu deveria parar de insistir nesse erro,
Nessa vastidão de pessoas que se vão,
Deveria ficar só com a minha solidão, ela nunca me abandonou...

Postar um comentário

Instagram

Made with by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates