Sessão psiquiatria: oitavo mês



Consultório Psiquiátrico
Tijuca, Rio de Janeiro,

04 de Julho de 2018


- Então, como você passou esse último mês, Grazielle?
- Uma bagunça, Dr. Sérgio!
- Por que? O que tem acontecido?
- Esse é o problema, nada tem acontecido, eu não consigo sentir nada, é um vazio imenso, que eu ando chamando de limbo. Mas aí, na metade da semana passada pra cá, muitos sentimentos, uma tristeza e eu não sei por quê, porque nada aconteceu! Não é como das outras vezes.
- Talvez seja esse o problema. Você precisa conseguir identificar o que está te levando a esses momentos.
- Bom, talvez tenha sido o mês de maio...
- O mês de maio?
- Sim, as viagens, meus amigos, a prima do Rafa que me fez sentir realmente da família. E aí agora é um vazio, sabe? Um monte de gente estranha, que não faz nenhuma questão de me conhecer de verdade...
- Você precisa de uma sólida rede de apoio: amigos, colegas, passeios... Isso vai te ajudar a superar momentos como esse.

Olhos cheios de lágrimas, um filme passa pela minha mente.
Eu já tive tudo isso e deixei para trás.
O contato online não substitui o físico, nada substitui um abraço, um olhar de cumplicidade.
Por mais incríveis que sejam minhas amigas, cada uma de nós está perdida em seu próprio mundo e problemas. O contato pessoal que elas possuem entre si as ajuda bastante. Mas eu estou aqui.

- Como você está fisicamente?
- Não consigo levantar da cama. Sempre que posso, fico até 15h, 16h na cama, entre dormir e acordar. Ando com hipersonia durante o dia e insônia durante a noite.
- Mas você consegue fazer suas tarefas, o que te dar prazer?
- Não consigo cozinhar. Esses dias tive vontade de comer batata e peguei uma crua na geladeira e comi com sal. Não consigo lavar minhas roupas. É só colocar na máquina, que ela me entrega as roupas quase secas. Mas eu não consigo. Entro no Vigor Frágil para postar por obrigação, porque tem gente que depende de mim. Vou me arrastando.
- Então nós precisamos mexer na sua medicação. Vamos acrescentar o medicamento W pela manhã e diminuir 5 mg do B da manhã. O restante, vamos manter. Se necessário, tome mais melatonina.

Ele olhou para mim.

- O que foi?
- Meu pai, sabe? Há dois meses não falo com ele e não sinto vontade, porque ele me faz mal. E ele tem me ligado constantemente. Minha mãe me disse que ele que ele queria coisa X comigo, algo que eu nunca tive dele e como ele conseguiu, ele parou de me ligar.

Pausa.

- Eu vou chorar!
- Chora que alivia, põe pra fora.

Chorando:

-Isso só faz com que eu tenha muita raiva dele. Ele não pode querer algo que ele nunca me deu e que eu só aprendi com o Rafa.
- Você precisa aprender a se proteger contra ele. Criar uma barreira. Trabalha isso com a sua terapeuta. É o mais urgente.

Receitas entregues,
Despedidas sendo anunciadas,
Ambos de pé,
Lágrimas ainda nos olhos.

- São tantos altos e baixos, sabe? Que eu não sei se os poucos altos compensam os baixos.
- Tudo vai passar, você vai conseguir sua estabilidade, ainda estamos no processo de buscar o que fará melhor. Mas todos nós temos nossos altos e baixos, não deixe que isso te faça desistir.
- Não vou, por enquanto não.
- Me manda notícias daqui uma semana. Não deixa de me dar notícias.
- Tudo bem.

Despedida na porta,
Um abraço apertado,
Uma sensação de que alguém me entende.
Talvez eu consiga...

4 comentários :

  1. Chorei ao ler... Muito eu...Por outros motivos....com variações de intensidade...mas foi algo que eu escreveria. Entende?
    Podemos converser por email?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que sim, pessoa querida!
      Me envie um email, o endereço é graziellevsc@gmail.com
      Se eu puder, terei o maior prazer em te ajudar ou confortar.

      Excluir
  2. nombre de esta aplicación por favor

    ResponderExcluir

Instagram

Made with by OddThemes | Distributed by Gooyaabi Templates